Tudo sobre a produção de uvas e vinhos do Brasil

Artigos recentes

"VinhoBrasileiroFobia"

Posted on April 4, 2013 at 5:45 PM

     É verdade que o Brasil não possui uma tradição milenar de produção de vinho, tampouco, uma cultura consolidada de consumo da bebida. É verdade que os preços dos vinhos finos nacionais são, em grande parte, abusivos, principalmente devido às altas taxas de impostos, que podem chegar até 67% do preço do produto final.


     É verdade também que a produção nacional ainda se dedica bastante aos vinhos suaves de uvas americanas, que são os mais conhecidos pela grande massa da população do país. É verdade que o vinho fino brasileiro ainda tem muito que melhorar, e que regiões produtoras milenares como Borgonha, Champagne, Douro, Alentejo, Toscana, Vêneto, Cataluña, dentre outras, são sim, e continuarão sendo, referências quando se fala em vinhos de qualidade.


     Mas também é verdade que o vinho brasileiro está melhorando. É notável o salto qualitativo dos vinhos nacionais nas últimas duas décadas. O Brasil deixou de ser amador em enologia e produção de uvas e, hoje, oferece sim vinhos competitivos aos tradicionais chilenos e argentinos abaixo de 20 reais, que abrangem a maior parte dos consumidos no Brasil, bem como, alguns rótulos finos tintos e brancos brasileiros, “de boutique” causam surpresa em degustações mundo a fora devido à inesperada qualidade de um vinho oriundo de um país não tão tradicional.


     Quando o papo é vinho espumante então, o Brasil já pode até ser considerado autoridade, tendo em vista o alto custo benefício das borbulhas nacionais e de alguns espumantes de alto requinte competitivos a qualquer do mundo.


     Talvez, o maior entrave para o desenvolvimento pleno do setor seja a “vinhobrasileirofobia”, tanto por parte do consumidor leigo, que pensa que vinhos de fora são sempre melhores, quanto de alguns críticos, sommelier’s, enófilos e até de pseudoentendidos de vinho, que dão força e sustentam essa “vinhobrasileirofobia”, negando até o último suspiro o ceticismo que os faria apenas dar uma oportunidade de degustar vinhos nacionais livres de preconceito ou pré-julgamentos.


     Talvez, devêssemos criar um movimento de “abaixo à vinhobrasileirofobia!” e promover protestos com degustações públicas de rótulos nacionais disfarçados em meio a importados para quebrar este lamentável paradigma e colocar de vez o vinho nacional no gosto e na mesa dos brasileiros.



 

Categories: consumidor, enologia

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

2 Comments

Reply Leandro Ebert
10:39 AM on April 5, 2013 
OLá Bierwagen!

então tu já faz parte do movimento contra a vinhobrasileirofobia! hehehe

Não que nossos vinhos sao melhores, mas vinhos bons e mals existem em qualquer lugar!

abraço!



que beleza!
Bierwagen says...
Olá, Ebert! Aqui no meu pedaço, sirvo sem mostrar o rótulo e depois conto o que é... estou vendendo muito bem os nossos. E fazendo torcida! Abraços, H. Bierwagen
Reply Bierwagen
1:00 AM on April 5, 2013 
Olá, Ebert! Aqui no meu pedaço, sirvo sem mostrar o rótulo e depois conto o que é... estou vendendo muito bem os nossos. E fazendo torcida! Abraços, H. Bierwagen